Comorbidades: Síndrome do Impostor

Sintoma Padrão Permanente

Sintoma Padrão Permanente


A Síndrome do Impostor, Fenômeno do Impostor ou Síndrome da Fraude não se configura como uma desordem psicológica reconhecida em termos oficiais, ou seja, não comparece nO Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM), no entanto vários psicólogos e educadores elaboraram livros e ensaios ao redor do tema. As pessoas sofredoras desta síndrome, de modo permanente, temporário ou frequente, parecem incapazes de internalizar suas conquistas e méritos. Independente do sucesso alcançado em sua área de estudo, trabalho ou atuação, ignorando as provas externas de suas competências, elas se convencem passiva e inconscientemente de sua incompetência e descrédito frente ao status alcançado, não sendo portanto muito melhores que simples fraudes.

Surto Padrão Ocasional

Surto Padrão Ocasional


Os afligidos desmerecem as provas de sucesso assumindo-as como resultado de sorte, ter estado no lugar certo na hora certa, quando não por ter enganado os outros fazendo-os acreditar que são mais inteligentes e competentes do que o são em realidade. No Neurodiverso, em especial o Supereficiente Mental, tal síndrome costuma vir correlata aO Perfeccionismo com Prejuízo Funcional, aO Complexo de Superior & Inferior ou quando não associada diretamente a uma malha própria de comorbidades entrelaçadas e alimentadas retroativamente. Se faz necessário através do observador externo ou da própria metacognição identificar os sintomas desta comorbidade em específico, já que a mesma pode acarretar numa série de problemas ao indivíduo, tais como falta ao dever, abstenção e abdicação acadêmica, profissional e social, comportamento de evitamento ou enfrentamento, complexo de perseguição, ondas de ansiedade, agorafobia, síndrome do pânico, transtorno obsessivo-compulsivo, depressão, entre outras doenças, comorbidades ou pleno prejuízo funcional, debilitando o seu agir no mundo e sua qualidade de vida.

Sobre Filipe Russo

CEO da SagaPro, A Edtech do Bem-Estar Escolar, startup incubada no Cietec. Autor dos livros premiados Caro Jovem Adulto e Asfixia, assim como vencedor do concurso “O Olhar em Tempos de Quarentena” e dos prêmios de Excelência Acadêmica nas disciplinas Inteligência Artificial na Educação e Temas em Psicologia: Contribuições para Computação Aplicada à Educação. Licenciado em Matemática pelo IME-USP, pós-graduando em Computação Aplicada à Educação pelo ICMC-USP. Realizou pesquisas em Análise Real, Bioinformática e Ensino de Matemática. Tem passagem pelo Instituto Max Planck de Fisiologia Molecular Vegetal em Golm e pela Universidade Técnica de Munique, ambos na Alemanha. Indígena agênero da Associação Wyka Kwara. Fundador do blog Supereficiente Mental. Pesquisador convidado no Grupo de Estudos, coordenado pela Profa. Dra. Lucia Santaella na Cátedra Oscar Sala do IEA-USP.
Esse post foi publicado em Comorbidades. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s