Comorbidades: Síndrome do Impostor

Sintoma Padrão Permanente

Sintoma Padrão Permanente


A Síndrome do Impostor, Fenômeno do Impostor ou Síndrome da Fraude não se configura como uma desordem psicológica reconhecida em termos oficiais, ou seja, não comparece nO Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders – DSM), no entanto vários psicólogos e educadores elaboraram livros e ensaios ao redor do tema. As pessoas sofredoras desta síndrome, de modo permanente, temporário ou frequente, parecem incapazes de internalizar suas conquistas e méritos. Independente do sucesso alcançado em sua área de estudo, trabalho ou atuação, ignorando as provas externas de suas competências, elas se convencem passiva e inconscientemente de sua incompetência e descrédito frente ao status alcançado, não sendo portanto muito melhores que simples fraudes.

Surto Padrão Ocasional

Surto Padrão Ocasional


Os afligidos desmerecem as provas de sucesso assumindo-as como resultado de sorte, ter estado no lugar certo na hora certa, quando não por ter enganado os outros fazendo-os acreditar que são mais inteligentes e competentes do que o são em realidade. No Neurodiverso, em especial o Supereficiente Mental, tal síndrome costuma vir correlata aO Perfeccionismo com Prejuízo Funcional, aO Complexo de Superior & Inferior ou quando não associada diretamente a uma malha própria de comorbidades entrelaçadas e alimentadas retroativamente. Se faz necessário através do observador externo ou da própria metacognição identificar os sintomas desta comorbidade em específico, já que a mesma pode acarretar numa série de problemas ao indivíduo, tais como falta ao dever, abstenção e abdicação acadêmica, profissional e social, comportamento de evitamento ou enfrentamento, complexo de perseguição, ondas de ansiedade, agorafobia, síndrome do pânico, transtorno obsessivo-compulsivo, depressão, entre outras doenças, comorbidades ou pleno prejuízo funcional, debilitando o seu agir no mundo e sua qualidade de vida.

Publicidade

Sobre Filipe Russo

Autore dos livros premiados “Caro Jovem Adulto” e “Asfixia”, assim como vencedore do concurso “O Olhar em Tempos de Quarentena” e de prêmios de excelência acadêmica em Inteligência Artificial, Psicologia, Gamificação, Empatia e Computação Afetiva, nesta última disciplina também recebeu o reconhecimento de melhor projeto. Licenciade em Matemática pelo IME-USP, pós-graduande em Computação Aplicada à Educação pelo ICMC-USP. Indígena agênere da Associação Wyka Kwara. Fundadore do blog Supereficiente Mental. Pesquisadore nas cátedras Oscar Sala e Otavio Frias Filho do IEA-USP, sob a coordenação de Lucia Santaella e Muniz Sodré, respectivamente.
Esse post foi publicado em Comorbidades. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s