Descaso: Ensino Superior

Exige-se Novos Rumos

Exige-se Novos Rumos

A solução de praxe para a problemática educacional do superdotado infanto-juvenil costumava resumir-se à aceleração de estudos, a qual sincronizava o nível intelectual do estudante com o conteúdo lecionado ao passo que aumenta a assincronia do mesmo para com seus colegas de classe. Tal acomodação não significa necessariamente a melhor opção em todos os casos e há de se criar alternativas de engajamento e compreensão do indivíduo nestes ambientes educacionais, o superdotado adulto por exemplo não almeja por definição a mesma aceleração de estudo porém a nível de ensino superior, apesar do dever de se apresentar a mesma oportunidade tanto a este quanto a sua versão mirim.

Abismos e mais abismos

Abismos e mais abismos

Pouco a nada se fala em um leque de acomodações a se disponibilizar para os superdotados e neurodiversos, se crê que apenas cumprir as exigências legais pragmáticas quando estas são exigidas basta como educação inclusiva, integração social e desenvolvimento pessoal e intelectual, mas não. Não sejamos ingênuos, muito menos compactuemos com o mínimo do mínimo a que se referem as leis; falta tato e bom senso, competência e senso crítico para trabalhar de modo colaborativo e comunitário visando suprir as necessidades individuais e neurodiversas apresentadas, ou melhor, escamoteadas pela padronização, normalização e normatização da sociedade. Tendo em vista tamanho descaso elaborarei uma série intitulada Acomodações para melhor tratar das opções disponíveis assim como propor novas interações.

Sobre Filipe Russo

CEO da SagaPro, a Edtech do Bem-Estar Escolar, startup incubada na incubadora Cietec IPEN-USP. Autore dos livros premiados “Caro Jovem Adulto” e “Asfixia”, assim como vencedore do concurso “O Olhar em Tempos de Quarentena” e de prêmios de excelência acadêmica em Inteligência Artificial, Psicologia, Gamificação, Empatia e Computação Afetiva, nesta última disciplina também recebeu o reconhecimento de melhor projeto. Licenciade em Matemática pelo IME-USP, pós-graduande em Computação Aplicada à Educação pelo ICMC-USP. Indígena agênere da Associação Wyka Kwara. Fundadore do blog Supereficiente Mental. Pesquisadore nas cátedras Oscar Sala e Otavio Frias Filho do IEA-USP, sob a coordenação de Lucia Santaella e Muniz Sodré, respectivamente.
Esse post foi publicado em Descaso. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s