Neurodiversos: Síndrome de Asperger

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento

Transtornos Invasivos do Desenvolvimento

Síndrome de Asperger (SA), também intitulada Transtorno de Asperger ou simplesmente Asperger é uma condição psicológica do espectro autista caracterizada por dificuldades significativas na interação social e comunicação não-verbal, assim como padrões de comportamento repetitivos (ou estereotipados) e interesses restritos (ou obsessivos). Das quatro formas de Transtorno do Espectro Autista, o autismo é a mais parecida com a Síndrome de Asperger em sinais e prováveis causas, mas seu diagnóstico requer comunicação prejudicada e permite atrasos no desenvolvimento cognitivo; a Síndrome de Rett e o Transtorno desintegrativo da infância compartilham vários sinais com o autismo, mas podem ter causas não relacionadas; e o Transtorno global do desenvolvimento sem outra especificação é diagnosticado quando os critérios para distúrbios mais específicos são insatisfatórios.

A psicologia dedica-se a auxiliar o indivíduo a reduzir seu próprio sofrimento psíquico de caráter majoritariamente neurótico, já o médico psiquiatra em reduzir o sofrimento do paciente a nível psíquico, cognitivo e bioquímico. Entretanto há muitas controvérsias intra e interdisciplinares, promovendo muita confusão e vários diagnósticos ora falso-positivos, ora falso-negativos; portanto deve-se tomar muito cuidado para que um neurodiverso ou superdotado não seja ‘castrado’ ao invés de empoderado. Antes do antidepressivo, experimente uma reeducação postural, alimentar e principalmente de hábitos, abandonando os mais insalubres e adotando outros mais saudáveis, faça exercício regular, encontre a sua tribo social, dedique-se a uma paixão pessoal; não diminuiu o comichão? A vida continua inadministrável? Procure então ajuda profissional e não, não há problema algum nisso; vamos juntos desconstruir qualquer estigma atribuído à neurodiversidade ou aos portadores seja de Asperger, seja de qualquer condição divergente.

Sobre Filipe Russo

CEO da SagaPro, A Edtech do Bem-Estar Escolar, startup incubada no Cietec. Autor dos livros premiados Caro Jovem Adulto e Asfixia, assim como vencedor do concurso “O Olhar em Tempos de Quarentena” e dos prêmios de Excelência Acadêmica nas disciplinas Inteligência Artificial na Educação e Temas em Psicologia: Contribuições para Computação Aplicada à Educação. Licenciado em Matemática pelo IME-USP, pós-graduando em Computação Aplicada à Educação pelo ICMC-USP. Realizou pesquisas em Análise Real, Bioinformática e Ensino de Matemática. Tem passagem pelo Instituto Max Planck de Fisiologia Molecular Vegetal em Golm e pela Universidade Técnica de Munique, ambos na Alemanha. Indígena agênero da Associação Wyka Kwara. Fundador do blog Supereficiente Mental. Pesquisador convidado no Grupo de Estudos, coordenado pela Profa. Dra. Lucia Santaella na Cátedra Oscar Sala do IEA-USP.
Esse post foi publicado em Espectro Autista, Neurodiversos, Síndrome de Asperger. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Neurodiversos: Síndrome de Asperger

  1. Mary lúcia camelo de brito disse:

    Oi, fiz o teste de deu neurodiversos asperger! Há mais de seis anos fui no psiquiatra e ele falou que eu tinha toc. Fui medicada com antedepressivo e ansiolitico melhorei bastante, só com o tempo vottei à ter mudança de humor, bem já ñ tinha mais efeito esse medicamento, hoje em dia não tomo nenhum remédio mais continuo entre altas e baixa, muitas vezes quando as coisas fica dificil, sinto que ninguém mim entende, aí desejo só sair dessa terra, é isso nada facil esses probleminhas de nome tão dificil e pra muitos até bonito.

  2. ogum777 disse:

    Olá. Falta dizer que entre 5% e 10% dos aspies são superdotados. Desta minoria de aspies superdotados e dos savants vêm o mito do autista genial. Estudos mais recentes no campo da genética tentando entender o autismo liga o mesmo à inteligência, pois parece que os gens ligados à inteligência são os mesmos de algumas formas de autismo (não tenho a referência aqui, cito de memória). Em tempo, o termo “Síndrome de Asperger” vem caindo em desuso. Não consta mais da DSM-V desde 2013 e na CID-11 que entrará em vigor logo também não consta. Os fatores para isso são dois: 1) o reconhecimento da síndrome como apenas uma variante do autismo (estudos de genética indicam isso, inclusive por haver um grande número de irmãos em que um é aspie e outro autista de outro grau), 2) para não homenagear Hans Asperger, que esteve envolvido no projeto de eugenia nazista. Grande parte dos militantes autistas pelos direitos de e para neurodiversos é composta por aspies adultos, pois em razão de não haver déficit comunicacional mais relevante possuem articulação de falas e lugar de fala.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s