Relato Pessoal: Luiz Filipi Sousa Moura

Luiz Filipi Sousa Moura

Luiz Filipi Sousa Moura

Desde que nasci dei a impressão de ser inteligente. Minha mãe diz que nasci com os olhos abertos, curioso sobre tudo. Ainda antes de saber andar, amava observar quadros; observava tudo e adorava música, e sempre fui assim. Sempre estive à frente do meu tempo. Aprendi a andar, falar, ler e escrever cedo; quase tudo que já fiz levei menos tempo para aprender do que uma pessoa normal levaria.

Aos 5 anos meus professores tentaram me avançar na escola, pois perceberam que eu tinha capacidade acima dos alunos mais velhos. Mas não consegui me adaptar à nova turma e optei por voltar à minha sala antiga com meus amigos antigos. Aos 8 anos fui constrangido por meus professores e pela própria diretora do colégio por ter apresentado um trabalho sobre um tema avançado que eles imaginaram ter sido feito como um insulto a eles. Aos 9, pegava escondido os livros que meu pai tinha da época em que ele fez faculdade e comentava sobre eles com meu professor do colégio após as aulas.

Sou uma pessoa muito reflexiva e sempre gostei de filosofia. Desde meus primeiros contatos com os números, filosofava sobre a matemática. Gostava de contar, repetidamente, números em potências de 2(2n) e pensar sobre os padrões, sobre o que são números, sobre como seria se usasse um sistema diferente do decimal, et cetera. Os problemas mais profundos fazem parte de mim, pensar sobre a origem do universo, sobre beleza, sobre o que é verdade, sobre a existência da matemática, enfim, é condição sine qua non para qualquer verbo executado por mim.

No âmbito social, não sou normal, mas também não muito esquisito. Sou uma pessoa que sabe falar bem, mas que prefere não falar. Tenho meus poucos amigos, todos reconhecem que sou inteligente, e consigo me relacionar bem com eles, porém não de forma ideal, nenhum deles é superdotado. Adoro praticar esportes, pratiquei durante minha vida toda, inclusive, por conta disso, ganhei bolsa de estudo no ensino médio.

Na faculdade, tive problemas para me adaptar. Tentei 3 cursos diferentes até a presente data. No terceiro curso sofri uma enorme tormenta, sentia muita dor de cabeça. Durante esse período, fui a bastantes médicos e psicólogos, e realizava diversos testes psicométricos para autoavaliação. Atingindo sempre níveis cognitivos altos e atingindo o topo em muitos testes, mesmo estando numa fase de grande dificuldade intelectual.

Nasci no dia 8 de maio de 1993. Na data que escrevo este texto, tenho 22 anos e moro em Balneário Camboriú, SC. É possível e provável que eu tenha me esquecido ou pulado algo sobre minha história, assim como é possível e provável que eu queira mudar algo nesse texto no futuro. Por isso a importância da datação. Meu nome é Luiz Filipe de Sousa Moura e eu escrevo esse texto no dia 30 de janeiro de 2016.

Anúncios

Sobre Filipe Russo

Filipe Albuquerque Russo nasceu em 22 de Agosto de 1990 em São Paulo, capital e foi criado em Manaus, Amazonas. Aos 16 retornou a sua cidade natal onde reside atualmente. Caro Jovem Adulto, seu primeiro romance estabeleceu em 2012 a estréia tripla de Filipe Russo no cenário artístico brasileiro (tipográfica com Limite Circular, fonte original exclusivamente manufaturada para a obra; fotográfica com Iluminado Expandido, capa original do livro e enfim a obra literária propriamente dita).
Esse post foi publicado em Relato Pessoal. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s