Entrevista: Fernanda Iris

Fernanda Iris

Fernanda Iris

Supereficiente Mental: Ninguém nasce com consciência de sua própria superdotação, contextualize para nós a descoberta da sua.

Fernanda Iris: Isso.
Eu também não tinha nenhuma consciência.
Sempre me acharam diferente das demais crianças.
E após ouvir inúmeras vezes dessas pessoas eu comecei a observar e reconhecer essas diferenças.
Entretanto, nunca dei muita importância.
Por diversas vezes tentei até me igualar aos demais considerados neurotipicos.
Contudo, o resultado foi sofrimento psíquico.
Sempre fui muito elogiada com todos os indicativos de um sd.
Como sempre tive sucesso no que eu gostava, devido a isso não ligava.
Após alguns problemas comecei a investigar estas minhas diferenças como: meu raciocino rápido, e forma atípica de pensar.
Assim como também procurei alguns profissionais do âmbito, que chegaram à conclusão de Superdotação, no entanto, não tive nada formal.
Hodiernamente, por necessidade de resolver minha vida acadêmica, procurei um profissional capacitado para fazer uma avaliação minuciosa.
Isto posto, fui submetida a vários testes.
No momento que estava realizando os testes não vou mentir, me gerou um incômodo, pois eu queria mais saber como funcionava do que responder.
Assim sendo, a minha Neuropsicóloga me submeteu a uma avaliação que foram utilizados como instrumentos avaliativos: uma entrevista de anamnese, teste psicométricos padronizados e autorizados pelo Conselho Federal de Psicologia tais como: WAIS – III, Teste de Aprendizagem Auditivo Verbal (de Rey) – RAVLT, o BPA- Bateria Psicológica para Avaliação da Atenção, o Teste de Pirâmides coloridas de Pfister, a Bateria Fatorial de Personalidade- BFP, exercícios de avaliação qualitativa e observação do comportamento durante a execução das atividades.
Que teve avaliada as áreas: funções cognitivas de linguagem, organização espacial, memória, funções executivas, atenção, pensamento, leitura, escrita, cálculo, funções espaciais e visioconstrutivas através do funcionamento dos fatores neuropsicológicos
de regulação e controle voluntariados do comportamento, retenção áudio-verbal , estado de alerta (fator de ativação geral inespecífica) e ativação emocional inespecífica.
Após todos os teste acima citados, de acordo com os resultados qualitativos e quantitativos obtidos, ela chegou à conclusão que eu apresento inteligência superior e altas habilidades.

SM: Quais são as suas áreas de alta habilidade?

Fernanda: Após análise foi chegado a tese que eu tenho altas habilidades verbal que diz respeito a conceitos: verbais, linguagem, ideias, vocabulário, compreensão e interpretação de textos e situações que envolvem conhecimento social ou cultural.

SM: Que tecnologia para os deficientes visuais você idealizou ainda bem jovem?

Fernanda: Minha idealização de tecnologia para os deficientes visuais, era de criar um método auditivo nos transportes públicos para informar a localização e nome do ônibus, para que assim eles pudessem saber e viverem de forma mais independente, para que não precisem da ajuda de outrem, no momento de desempenhar tal tarefa.
E essa ideia, foi após uma curiosidade em saber como eles sabiam o seu local de chegada.
Eu sei que devido à falta deste sentido visual, os demais sentidos são mais desenvolvidos.
Contudo, a visão possui sua importância como todos nós sabemos.

SM: Sobre o que você escreve? O que lhe atrai na filosofia?

Fernanda: Eu escrevo mais sobre tudo que envolve a humanidade.
Meu fascínio pela filosofia é devido a ser a esfera que estuda as questões gerais e fundamentais relacionadas com a natureza da existência humana.

SM: Conte para nós como foi sua experiência na graduação de biomedicina, o que não funcionou?

Fernanda: Foi uma experiência boa, porém eu percebi que meu objetivo era algo mais aprofundado como a Medicina .
Tanto que pretendo fazer Medicina e aproveitar as disciplinas cursadas em biomedicina que também fazem parte do curso de medicina.

SM: Qual área do direito lhe fascina mais?

Fernanda: As áreas jurídicas que me fascinam são as que envolvem direitos humanos.

SM: Fazes uso de algum aconselhamento psicopedagógico? Em caso positivo fale como isso funciona para você.

Fernanda: Sobre o aconselhamento sempre precisei, mas nunca fiz.
Neste momento que eu vou começar a fazer, porém , como ainda não fiz não possuo nenhum aconselhamento.
Entretanto, devido algumas pesquisas sobre o assunto percebo que me trará muitos benefícios.

SM: Algum lema motivacional?

Fernanda: A aceitação, conhecimento e a busca para compreensão da Superdotação nos faz estimular nossas habilidades.
E não deixa que a emoção iniba nossa capacidade superior.
Somos como um todo, e não só o intelecto.
Diante disso, trabalhar nossas emoções é crucial.

SM: Algum recado pra galera?

Fernanda: Amar sua superdotação, pois é que nem a cor dos olhos é algo inato que não pode mudar.

Anúncios

Sobre Filipe Russo

Filipe Albuquerque Russo nasceu em 22 de Agosto de 1990 em São Paulo, capital e foi criado em Manaus, Amazonas. Aos 16 retornou a sua cidade natal onde reside atualmente. Caro Jovem Adulto, seu primeiro romance estabeleceu em 2012 a estréia tripla de Filipe Russo no cenário artístico brasileiro (tipográfica com Limite Circular, fonte original exclusivamente manufaturada para a obra; fotográfica com Iluminado Expandido, capa original do livro e enfim a obra literária propriamente dita).
Esse post foi publicado em Entrevista e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s