Controvérsias: Neuronormatividade & Clivagem Social

neuronormatividade

neuronormatividade

Por Neuronormatividade entenderemos atitudes e códigos neurotípicos de caráter normativo e normatizante, onde tal norma não contempla os direitos e interesses neurodiversos. Portanto a neuronormatividade encerra um modo de pensar restritivo e homogenizante ao represar, estagnar e esterilizar idéias e comportamentos divergentes. Já a Clivagem Social se caracteriza por reduzir o alcance e a influência de um indivíduo em um dado contexto interpessoal, ou seja, a própria potência individual se vê sabotada pelo arbítrio alheio.

cegueira cultural, olhar viciado, preconceito hereditário

cegueira cultural, olhar viciado, preconceito hereditário

No silêncio neuronormativo opera-se sonambulamente uma série de clivagens sociais, onde eventualmente o oprimido almeja o status de opressor e assim replica antigas opressões com novos requintes de crueldade. Uma vez descrente de seus talentos e idiossincrasias o neurodiverso se vê incapaz de resistir ao endeusamento e à hostilização compulsórios de figuras autoritárias, à tentação do poder hierárquico e estrutural. O maquinário repressor converte suas vítimas em sacerdotes obedientes, reforçadores de suas políticas perversas.

exclusão social

exclusão social

Nós, neurodivergentes, vivemos em constante estado de alerta, atentos aos toques de recolher, o ressoar das sirenes; sobrevivemos silenciados por um apartheid não declarado, vítimas de uma tradição inercial que não permite o convívio pacífico, muito menos o reconhecimento amplo e pleno de nossa natureza singular. Ou seja, somos invisibilizados e inviabilizados, reduzidos a meras sombras do que poderíamos ter sido caso fôssemos vistos pelo que somos; reivindiquemos pois nosso locus social, precisamos assumir nosso posto de Agentes Sociais e não simplesmente entregar de mão beijada nossos direitos para o abatedouro. Só o neurodiverso pode representar com fidedignidade e legitimidade nossa causa.

Anúncios

Sobre Filipe Russo

Filipe Albuquerque Russo nasceu em 22 de Agosto de 1990 em São Paulo, capital e foi criado em Manaus, Amazonas. Aos 16 retornou a sua cidade natal onde reside atualmente. Caro Jovem Adulto, seu primeiro romance estabeleceu em 2012 a estréia tripla de Filipe Russo no cenário artístico brasileiro (tipográfica com Limite Circular, fonte original exclusivamente manufaturada para a obra; fotográfica com Iluminado Expandido, capa original do livro e enfim a obra literária propriamente dita).
Esse post foi publicado em Controvérsias e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para Controvérsias: Neuronormatividade & Clivagem Social

  1. StartlessStarlessSoultear disse:

    Privar-me-ei do que vi que devia ter não visto?

    A máquina carrega a fonte
    E a protege com A VIDA ALHEIA
    O maquinista, pela avenida, transgente
    Conduzir-á-á tudo isso todos, incendeia

    Os fígulos semeiam sua absorção tenaz
    Com-criam suas dívidas inerentes de nunca
    Soa tudo, nada ninguém sente
    Sou eu não POR MAIOR FAVOR MUNDO-HÁ.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s